facebook  twitter  linkedin

Avaliação do Ar Laboral: Partículas e contaminantes químicos

A falta de qualidade do ar nos locais de trabalho e existência de diversos contaminantes é a queixa mais recorrente no seio dos trabalhadores das empresas. Os riscos a médio e longo prazo para a saúde não são muitas vezes do conhecimento quer dos trabalhadores quer dos empregadores e podem levar a doenças crónicas, por vezes incapacidades, e algumas situações ao desenvolvimento de doenças tais como o cancro.

A avaliação dos constituintes da atmosfera dos locais de trabalho é obrigatória em todas as empresas de todos os setores de atividade.

O trabalho do risk lab:

  • Efectuamos a identificação dos eventuais contaminantes dos locais de trabalho através por exemplo da análise das fichas de segurança dos produtos;
  • Efetuamos a avaliação nois locais de trabalho com a recolha de amostras;
  • Efectuamos o respetivo relatório com indicação dos valores obtidos e comparação com os valores limite da legislação;
  • Propomos medidas para minimizar eventuais riscos de exposição;

Que contaminante podemos encontrar:

De um modo geral podemos encontrar de tudo nos locais de trabalho. Todos os produtos que "entram" numa unidade fabril poderão aparecer no ar dos locais de trabalho, uma empresa que compra solventes e tintas poderá esperar que em determinado local da fábrica apreçam compostos orgânicos voláteis. Um empresa metalomecânica poderá esperar encontrar ao longo do processo de fabrico, poeiras e fumos metálicos mas também compostos orgânicos voláteis se efectuar também pinturas. Os contaminantes mais comuns são as partículas, os fumos metálicos, os Compostos orgânicos voláteis (COV), a sílica, gases tais como ozono, monóxido de carbono, etc...

Referências legais e Normativas:

Portaria n.º 53/71, de 3 de Fevereiro – Regulamento Geral de Segurança e Higiene no Trabalho nos Estabelecimentos Industriais;

Decreto-Lei n.º 243/86, de 20 de Agosto - Regulamento Geral de Segurança e Higiene no Trabalho nos Estabelecimentos Comerciais, Escritórios e Serviços;

Decreto-Lei n.º 24/2012, de 6 de Fevereiro - Prescrições mínimas em matéria de protecção dos trabalhadores contra os riscos para a segurança e a saúde devido à exposição a agentes químicos no trabalho. Estabelece uma terceira lista de valores limite de exposição profissional.

Norma Portuguesa 1796:2007 – Segurança e Saúde no trabalho - Valores limite de Exposição Profissional a agentes químicos.

Periodicidade de avaliação

Não existe periodicidade para a avaliação dos contaminantes dos locais de trabalho, deverá ser efectuada pelo menos uma avaliação para certificar que no ar dos locais de trabalho não se encontram contaminantes em concentração acima do valor limite de exposição. Posteriormente quando houver laguma alteração nos produtos que são utilizados pelos trabalhadores deverá avaliar-se se o ar não sofre alterações significativas na sua composição. Por outro lado a evolução dos conhecimentos científicos levam a revisões periódicas dos valores limite de exposição aos agentes prejudicias à saúde e desta forma um contaminantes que à 10 anos cumpria o valor limite poderá agora não cumprir. 


Data da última revisão : Abril 2014

.
risk lab, Lda.
Edifício IEMinho
Rua do Conhecimento, nº10
4730-575 - Soutelo - Vila Verde
 
Tel: 253673212
Fax: 253320050
Tlm: 968253412
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
 
Free business joomla templates

Distributed by SiteGround